07 junho 2011

Tempo para me levantar... de novo.

Bem sei que o blogue tem estado muito parado. O tempo nos últimos dois anos não tem sido muito para poder vir até aqui e lançar umas "larachas".
O que é certo é que durante este espaço temporal estive ligado a dois projectos profissionais que me roubaram... tempo. Demasiado tempo! Tempo que poderia ter aproveitado para estar ligado a apenas um deles, para que assim pudesse ter disponibilidade para poder tratar de mim. Da minha vida pessoal, académica e sentimental.



Cansado de tentar fazer com que os dois projectos tivessem pernas para poderem andar, sem que tivesse de dedicar mais tempo ainda, decidi afastar-me de um deles. Foi uma decisão da qual não me arrependo mas que infelizmente veio coincidir com a crise financeira que afectou o outro projecto ao qual estava vinculado. Resultado... faço parte das estatísticas de desemprego.


Foram ambos projectos muito aliciantes e que me deram uma experiência incrível, que me fizeram acreditar ainda mais em mim e nas minhas capacidades, mas que como resultado final deram em... nada. Três anos dedicados a algo que, dois meses volvidos sobre o afastamento de ambos, fizeram com que os mesmos se descaracterizassem e perdessem a total identidade.
De um em particular, que ajudei a nascer e dar os primeiros passos, senti... como que se me estivessem a arrancar um filho dos braços. Uma sensação de perda total e de nada poder fazer para que tal fosse evitado. A estranha sensação de o imaginar a caminho de uma câmara de gás para ser exterminado.

Felizmente as ideias ficam para outros projectos aos quais me poderei vir a associar ou até mesmo vincular, mas o mercado de trabalho em Portugal está pela hora da morte e não dá espaço a que surjam novas pessoas e ideias.
Como não tenho ninguém que me possa "apadrinhar" para a inclusão em outros projectos ainda me encontro à procura de alguém que me queira ouvir para saber quais as minhas aptidões profissionais e saber que ideias tenho sobre o que poderá ser o futuro do segmento profissional ao qual sempre estive ligado, o qual amo de coração.

Sonho com o dia em que sozinho possa fazer o que mais gosto sem depender de ninguém para decidir o que fazer. Infelizmente ainda passa de um sonho e por muito tempo irá passar.

Isto de estar "parado" faz-nos por vezes pensar no que ainda poderia-mos vir a contribuir para a sociedade e ao mesmo tempo fazer-nos sentir que somos altamente inúteis. No entanto continuo muito optimista quanto a poder encontrar trabalho dentro da minha área profissional, esperando que seja muito em breve.

Espero pelo dia em que profissionalmente o sol volte a nascer para mim.

Chegou a altura para me levantar de novo!

2 comentários:

sad eyes disse...

É o estado do país; Mas estou esperançado que a vida continue dentro de momentos.

Fucker disse...

Temos sempre que andar em frente.